A importância da lubrificação para equipamentos e veículos

Quando se compra um equipamento ou veículo a intenção é que a sua vida útil seja longa e que eles funcionem perfeitamente durante todo esse período. Mas, para que isso aconteça, é preciso que a manutenção também seja perfeita, e quando se fala em manutenção, poucos cuidados são tão essenciais quanto a lubrificação.

Um estudo realizado pelo Massachusetts Institute of Technology (MIT), determinou que a degradação e desgaste das superfícies das peças são responsáveis por 70 % das causas de paradas de equipamentos.

Embora a pesquisa tenha estudado somente equipamentos industriais, o mesmo se aplica a maquinários móveis e veiculares, já que além de causar desgaste nas peças, a falta de lubrificação também influencia na temperatura de praticamente todos os tipos de motores.

O que são lubrificantes

Lubrificantes são substâncias colocadas entre duas superfícies, formando uma película protetora que irá reduzir a fricção ou atrito entre elas enquanto se movimentam. Essa movimentação gera energia que logo se converte em calor. Esse atrito pode gerar desgastes às peças, enquanto que o calor tem como consequência uma alta tensão de temperatura e juntos, esses dois fatores fatalmente irão comprometer o bom funcionamento do equipamento.

Dessa forma, o papel do lubrificante é evitar que isso aconteça, fazendo com que o contato entre os componentes em movimento seja suave, e o desgaste e calor gerados seja mínimo.

Os lubrificantes podem ser líquidos, gasosos, semi-sólidos ou sólidos, mas os mais utilizados normalmente são os óleos e graxas.

Principais funções dos lubrificantes:

  • Reduzir o atrito e desgaste das peças;
  • Diminuir o calor gerado pela movimentação das peças;
  • Atuar como agente de resfriamento nos motores;
  • Proteger contra a corrosão;
  • Fazer a limpeza das superfícies e evitar a entrada de impurezas;

Principais propriedades dos lubrificantes e como escolher

Ao longo do tempo as máquinas e os veículos evoluíram e mudaram drasticamente seu funcionamento e, para acompanhar essas mudanças, os lubrificantes também sofreram diversas alterações tecnológicas bastante consistentes.

Para uma correta lubrificação, além de utilizar os equipamentos adequados é preciso escolher o tipo ideal de lubrificante levando em conta suas principais propriedades: aderência, viscosidade, ausência de ácidos, pureza química e mecânica, resistência ao tempo e pontos de inflamação e congelamento.

Já os equipamentos específicos para lubrificação, estão disponíveis no Brasil desde os anos 50 e hoje podem ser facilmente encontrados em lojas especializadas como a Petro Líder.

É importante lembrar que o uso dos equipamentos corretos para lubrificação são indispensáveis não só para que a lubrificação seja bem feita, mas também porque amenizam o risco de contaminação dessas substâncias.

Não corra riscos, cuide da lubrificação dos seus equipamentos e veículos, reduza os seus custos de manutenção e aumente sua produtividade.

Bomba manual para transferência de óleo diesel: conheça os modelos mais vendidos

Usadas na transferência de combustíveis, as bombas manuais podem variar quanto a sua composição e capacidade de vazão

Quem trabalha constantemente com veículos em postos de serviços, oficinas, indústrias ou até mesmo no campo, sabe que transferir combustíveis nem sempre é uma tarefa fácil, principalmente quando feita manualmente.

Por isso, para aumentar a produtividade nessas atividades, escolher o equipamento certo é essencial e pode mudar completamente a rotina de trabalho para melhor.

Para que serve: como o próprio nome já sugere, as bombas manuais servem para transferir óleo diesel, mas também outros combustíveis como óleo lubrificante, gasolina e querosene, de um recipiente para outro, e podem ser acionadas através de manivela (rotativa) ou por alavanca.

Mesmo que todos os modelos sejam manuais, existem algumas diferenças que devem ser levadas em conta na hora da escolha do modelo certo.  Acompanhe agora os modelos mais vendidos pela Petrolider e saiba mais sobre cada um:

Bomba Manual de Alavanca para óleo

Usada para coleta e transferência tanto de óleo diesel como lubrificante, o modelo 1007821 possui vazão de 16 litros por minuto e tem o corpo da bomba feito em aço e a cabeça com liga de zinco, garantindo resistência contra impactos.

Serve para adaptar em tambores de 60, 200 e 220 litros, possui cano de sucção telescópico e é muito leve pesando pouco mais de 2 kg.

Bomba Rotativa para óleo e querosene

Com vazão de até 30 litros por minuto, o modelo 6001211 serve para óleo diesel, lubrificante e querosene, possui adaptadores que permitem seu uso em tambores de até 200 litros e seu cano de sucção pode ser desmontado em 3 partes. De ferro fundido, esse modelo a manivela é um pouco mais robusto pesando quase 5 kg.

Bomba Rotativa para gasolina, óleo e querosene

Multiuso, o modelo 1002413  serve para gasolina, querosene, óleo diesel e lubrificante. Sua vazão é de 30 litros por minuto e é ideal para tambores de 200 litros. Com corpo em alumínio, ela pesa 3 kg e possui cano de sucção também desmontável em 3 partes.

Agora que você já conhece os melhores modelos de bombas manuais para transferência de óleos e combustíveis, com certeza escolher o mais indicado para as suas necessidades será muito mais fácil.

Se o que você procura é um equipamento mais robusto, de maior vazão e para transferência ou abastecimento de grandes quantidades de combustíveis, a Petrolider também possui modelos elétricos, a bateria e kits completos para abastecer.

Vai transportar combustível fora do tanque?

Fique atento aos galões e reservatórios certos para evitar problemas

Resolução vigente desde 2013 permite a comercialização de quantidades menores de combustíveis em recipientes, desde que dentro de normas bastante específicas

Embora muitos consumidores não saibam, a venda de combustíveis em recipientes como garrafas pet e outros tipos de embalagens improvisadas é proibida em postos de abastecimento em todo o país. O que não quer dizer que a venda de combustíveis em pequenas quantidades esteja proibida, e sim que existe uma regulamentação a ser seguida para garantir a segurança no armazenamento e transportes dessas substâncias, independente da quantidade.

Muito úteis e bastante comuns em zonas agrícolas e industriais para abastecimentos de máquinas e veículos de trabalho, os reservatórios e galões de combustíveis também são essenciais para os jipeiros, motoqueiros e barqueiros, que necessitam ter sempre um estoque extra dessas substâncias durante suas viagens. Além de serem a salvação para os motoristas desavisados que se veem desabastecidos antes de chegarem ao posto, e acabam sofrendo a famosa e indesejada “pane seca”, nos momentos mais inconvenientes.

O grande problema é que por serem inflamáveis e representarem um grande risco tanto para as pessoas quanto para o meio ambiente, quando transportados de forma errada, esse tipo de prática precisou ser regulamentada. Cabendo à ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis) determinar as especificações dos galões e reservatórios usados para armazenar e transportar quantidades menores de gasolina, querosene, diesel, etanol e outras substâncias derivadas de petróleo. Para que assim como os tanques dos veículos, esses recipientes atendam às regras da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT).

O que estipula a norma para reservatórios e galões de combustíveis

De acordo com a norma técnica da ABNT NBR 15.594-1, é estritamente proibida a venda de qualquer tipo de combustível em garrafas, sacos plásticos e galões não certificados, independente do veículo de destino.

No caso de quantidades inferiores a 50 litros, a venda combustíveis pode ser feita em galões e reservatórios metálicos ou não, desde que rígidos e fabricados para essa finalidade e certificados pelo Inmetro.

O abastecimento deve ser feito com o galão ou reservatório do lado de fora do veículo e apoiado sobre o piso, com o bico embutido dentro dele ao máximo. Sendo que para evitar transbordamento, caso o produto dilate, o ideal é que o recipiente seja abastecido em até 95% da sua capacidade total.

Já para quantidades superiores a 50 litros, a venda de combustíveis fora do tanque pode ser feita somente se armazenado em reservatórios metálicos e devidamente certificados pelo INMETRO. Nesse caso, o abastecimento pode ser feito na própria carroceria do veículo utilizado no transporte, desde que o contato do recipiente com o bico, seja o mínimo possível.

Como se adaptar a norma

Para evitar problemas e não por em risco a segurança do meio ambiente e nem das pessoas que estão a volta, o ideal é se preparar e ter sempre à mão os recipientes dentro das exigências.

A boa notícia é que você pode fazer isso sem sair de casa, através da loja virtual da Petrolider. Na Petrolider é possível encontrar modelos de reservatórios e galões de polietileno de alta densidade e metal, de 5L, 10L e 20L e 50L para quantidades pequenas de combustíveis, e também reservatórios de metal de 200L e IBC de 1000L, para armazenar e transportar volumes maiores de combustíveis para abastecimento de maquinários e veículos agrícolas e industriais.

 

Engraxadeira: tudo que você precisa saber

Lubrificar é um dos principais cuidados que se deve ter na manutenção de grande parte dos equipamentos utilizados em diversos segmentos de produção e serviços, e isso tem um bom motivo: a lubrificação é a grande responsável por criar a película que irá impedir que uma peça entre em contato direto com a outra enquanto se movem, o que é essencial para evitar o atrito e futuros danos ao sistema. Por isso é tão importante, para muitos profissionais, ter uma engraxadeira sempre à mão.

A engraxadeira é um equipamento muito utilizado na lubrificação de equipamentos e veículos em postos de serviços, garagens, oficinas, máquinas agrícolas e industriais em geral.

A grande vantagem das engraxadeiras pneumáticas (ou propulsoras pneumáticas como também são chamadas), tanto para graxa, quanto para óleo, é que diferente das engraxadeiras manuais, elas não exigem esforço humano no seu manuseio, já que as ferramentas pneumáticas transformam o próprio ar em energia propulsora.

Como funciona uma engraxadeira pneumática

Existem diversos modelos de engraxadeiras pneumáticas, e embora possa variar o tipo de graxa e o tamanho do tambor que elas suportam, o seu funcionamento é bastante similar. O que muda são os acessórios, que podem acompanhar ou não o equipamento.

Os modelos mais completos costumam vir com tampa, disco compactador, lubrifil, mangueira, válvula de controle, conexão giratória e carrinho para facilitar o transporte. Sendo que a válvula de controle pode ser substituída por um medidor de graxa, caso seja necessário acompanhar com mais precisão o fluxo da quantidade de graxa.

Para começar o trabalho basta colocar a graxa no tambor, o disco no compactador e fechar a tampa. Feito isso, a engraxadeira já pode ser ligada no ar comprimido e a válvula de controle pressionada para começar a lubrificação.

Dicas de manutenção

Independente do modelo que você escolher, para manter sua propulsora pneumática para graxa funcionando por muito tempo, sem nenhum problema e com segurança, é preciso tomar alguns cuidados:

  • Sempre use graxa limpa e sem impurezas;
  • Jamais dobre ou amasse as mangueiras de graxa e ar;
  • Quando for reabastecer o reservatório, faça isso em um ambiente limpo;
  • Consulte sempre um profissional antes de trocar qualquer peça;
  • Só use produtos e peças originais;

Onde encontrar

Engraxadeiras manuais, propulsoras pneumáticas para óleo ou graxa, tambores de diversos tamanhos e peças de reposição originais das melhores marcas, você encontra na Petrolider.  Temos tem uma loja completa e profissionais qualificados para garantir que você faça a melhor compra, e assistência técnica em todo Brasil.

Acesse nosso site e saiba mais: https://www.petrolider.com.br/